Surf é o pai dos esportes radicais

Cultura Surf Jun 23, 2020
Tenho certeza que a importância do surf para a cultura e os costumes do século XX ainda será seriamente avaliada. E vai ser muito engraçado ver antigos "vagabundos" se tornarem referência histórica.

Década de 30. Os garotos ainda não sabiam, mas naquele dia algo mudaria para sempre em Windansea. Depois da aula, como sempre, foram jogar pedra nas gaivotas e fazer guerra de areia. Parecia um dia como outro qualquer na praia, não fosse aquele carro se aproximando. Estranho, ninguém nunca vinha ali. O barulho do motor os fez parar. Eles se viraram. Fascinados, observaram aquele estranho sair do carro. Olhos fixos no horizonte, Bob Simmons desamarrou algo que parecia uma porta de madeira do teto do carro e arrastou o "toco" com mais de 30 quilos pela areia, até a arrebentação. Em silêncio, percebendo de alguma forma a solenidade da situação, os moleques com pouco mais de 11 anos se sentaram para assistir à primeira sessão de surf de suas vidas.

De noite, em casa, na mesa do jantar, os garotos contaram animados para seus pais o que haviam visto. O cara deitou na madeira, deu boas braçadas, passou a arrebentação, sentou no troço, escolheu uma onda e veio deslizando em pé até a beira. E não foi uma nem duas. O cara pegou um monte de ondas. Depois saiu sem dizer palavra, amarrou a prancha novamente no teto do carro e foi embora.

O excêntrico e misterioso Simmons fez isso por toda a costa californiana. E centenas de garotos, de norte a sul, foram convertidos ao surf. Mas não seus pais. Também não é pra menos. Num tempo onde todos os esportes eram jogados de uniforme, em quadras, e quase de forma hereditária - passando de pai pra filho a paixão pelo beisebol, golfe, tênis, boliche (e etc.), o aparecimento de uma nova atividade a ser praticada "sem roupa" (de short) e na praia (lugar de desocupado) só podia mesmo sofrer com a desconfiança das gerações anteriores.

O surf foi o primeiro esporte a quebrar com essa caretice de papai, mamãe, titia. Além disso o surf deixou mais claro do que nunca um adormecido conflito de gerações, pois agora pais e filhos queriam coisas totalmente diferentes. Enquanto papai sonhava com um estádio lotado, o filho viajava numa praia vazia.

E foram abertas as porteiras. Na seqüência veio toda uma leva de esportes radicais, como skate, windsurf, vôo livre, snowboard, bodyboard, skydive, kitesurf, wakeboard, mountain bike… Mais e mais garotões (e agora, cada vez mais meninas) com sangue quente nas veias abraçavam e inventavam novas formas de se expressar de forma radical. Hoje em dia isso é normal, mas foi o surf quem começou essa verdadeira revolução que transcende em muito um mero esporte e permeia cultura, moda, comportamento, música, turismo, estilo de vida.

Tenho certeza que a importância do surf para a cultura e os costumes do século XX ainda será seriamente avaliada. E vai ser muito engraçado ver antigos 'vagabundos' se tornarem referência histórica. Assim como Robert Johnson no blues. Ou Charlie Parker no jazz. Um brinde a esse agente transformador chamado surf!

Por: Fred d' Orey
Publicado em: 11/2004
Conheça o trabalho do Fred: https://www.totemstore.com.br/

Fred d'Orey

Fred d'Orey https://www.totemstore.com.br/

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.