Prainha - Um surf secret point chamado leprosário

Cultura Surf Jun 04, 2014

Ceceu Pimentel

Ainda falando sobre a fase romântica do surf carioca, por mais incrível que pareça, tínhamos também um secret point bem perto do nosso oásis, o Arpoador.

A praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes, era um point bastante freqüentado pelas boas ondas proporcionadas aos nossos pranchões.

Havia dias, porém, principalmente nos fins de semana que a galera invadia a praia. O pico chegava a acumular um crowd de dez a doze pranchões, é verdade, para a época isso era muita gente.

Estava sentado na areia, com mais dois ou três amigos, num dia de ondas de meio a um metro, porém cheias e sem muita força, quando um pescador veio conversar conosco e fazer perguntas sobre surf. Ele estava amarradão vendo a galera surfar e uma de suas perguntas foi porque estávamos na areia e não surfando. Contamos que as ondas nesse dia não estavam muito boas e com muita gente no pico. Ele então nos perguntou por que não íamos surfar na outra praia, depois da que estávamos. Falamos que era muito longe e de difícil caminho, pensávamos que ele estava se referindo a Grumarí ou Guaratiba, e como já estávamos no início da tarde não valia mais apena, pois não teríamos mais muito tempo para surfar ao chegarmos lá. Porém ele nos surpreendeu dizendo: não é longe não, atravesse aquela ponte de madeira, suba aquela estradinha a esquerda e logo vocês estarão lá. Nós então retrucamos: mas ali acaba a estrada e depois só tem um costão, ele então nos ensinou que ao chegar ao final da estrada tinha uma trilha por cima do morro, só conhecida e usada por pescadores, que nos levaria a uma prainha em que as ondas eram sempre bem mais fortes que as do Recreio.

Disfarçadamente colocamos nossas pranchas no carro, como se fossemos embora, e nos dirigimos a tal “prainha”. Deixamos as pranchas no carro e no dirigimos a trilha para checar o local.

Ao chegar no alto do morro ficamos boquiabertos com o visual, a tal prainha não só existia mas também estavam quebrando altas ondas. Como já era quase fim de tarde, combinamos de voltar no dia seguinte e não contar para ninguém do novo point descoberto, o qual batizamos de “LEPROSÁRIO”, nome este para afastar os curiosos.

Durante um bom tempo esta era a palavra mágica pronunciada e conhecida somente por alguns de nós ao nos reunirmos para surfar naquele secret que mais tarde se tornaria o novo refúgio da galera remanescente do Píer de Ipanema e do Arpoador. Nasce um novo oásis: a PRAINHA.

Aloha galera!

Ceceu

Ceceu Pimentel

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.