Tales from Ipanema - Quem sabe o atalho chega primeiro

TALES FROM IPANEMA

Parte I - Quem sabe o atalho chega primeiro.

Esta é uma estória de ficção. Aconteceu em Ipanema, em 1978.

Ronnie também conhecido como Ronnie Prayboy estava parado no sinal da Av. Vieira Souto esquina com a Rua (na época Montenegro), hoje Vinicius de Morais. Seu carro uma Fiat 147 cor vermelho Ferrari, ano 1978 novinha. Além da cor o carro tinha rodas de liga leve com e a tala de sete polegadas, quando o normal era quatro, tinha, também, um volante esportivo Momo. Afora isso, era um carro normal, não tinha motor mexido e só as 1300 cilindradas de fábrica, movido à álcool, hoje metanol, aumentava um pouco a potência do motor, mas nada comparável ao carro que parou ao seu lado.

Era uma BMW cupê, veículo raro naqueles tempos. Com certo desdém seu condutor, olhou para o lado e viu aquele carrinho, deve ter reconhecido a cor, foi o único ano em que a Fiat colocou à venda carros com a cor vermelho Ferrari. Ronnie também olhou e reconheceu o motorista. Um conhecido piloto da GTR, o Edmilson. Ele também como um típico “play boy” da época acelerou sua BMW, chamando para um pega ou racha o Ronnie, e o seu carrinho.

Naquele tempo a pista de ciclismo ainda não havia sido construída, em seu lugar apenas estacionamento. Poucos carros estavam usando o tal estacionamento e paravam com quarenta e cinco graus de inclinação em relação ao meio-fio.

Ao lado dos dois havia uma senhora que acabara de tirar sua habilitação. Meio apavorada com as sucessivas aceleradas dos dois próximos a ela, sem querer deu a primeira chance de vantagem ao Ronnie.

Ela tirou o pé da embreagem, já com a marcha engatada e o seu carro deu um pulo pendendo para o lado da BMW. Ato contínuo o sinal abriu, e o Ronnie saiu na frente do Edmilson. Por pouco tempo, já perto do Castelinho o BMW mostrava sua força e emparelhava com a Fiat.

O tráfego estava tipo médio, nem engarrafado nem livre. Ao se aproximarem da entrada do Arpoador a BMW foi para a esquerda e ultrapassou a Fiat, debalde, pois logo o trânsito aumentou e ele teve que frear bruscamente. Então a Fiat que conhecia bem os “atalhos” bicou para o estacionamento passou dois ou três carros e saiu na frente, já na Francisco Otaviano. Mesmo assim a BMW encostou novamente até passar de novo por alguns segundos.

O sinal com a Raul Pompéia estava fechado e de lá vinham dois ônibus. Ronnie não perdeu a chance e bicou de novo para o estacionamento e numa manobra suicida furou o sinal e cortou os dois ônibus e saiu vitorioso na Av. Atlântica.

Depois já era Copacabana, em Ipanema o Edmilson comeu poeira. Ficou puto. Ronnie parou e com a mão fez um gesto para a BMW prosseguir, ironicamente.

Oswaldo Alano Scipião Moreira


Chega mais e troque uma ideia